Ateliê AmarEllo registra mais de 400 visitas no primeiro dia no ar

Site do Ateliê AmarEllo foi inaugurado nessa sexta-feira, 14, pela artista plástica Leila Baptaglin

Fonte: Divulgação

O Ateliê AmarEllo, site dedicado à produção, exposição e comercialização do conjunto de obras da artista plástica Leila Adriana Baptaglin, registrou 447 visitas únicas no primeiro dia de funcionamento.


O espaço virtual foi inaugurado na tarde dessa sexta-feira, 14. No Ateliê AmarEllo, o internauta pode conhecer o acervo de obras de Leila Baptaglin, em sua maioria telas, aquarelas, projetos e desenhos nos quais ela retrata as flores e natureza de Roraima.


De acordo com os dados, a maioria das visitas ao site foram realizadas por usuários localizados nos estados de Roraima, Amazonas, Pará e Rio Grande do Sul.


Contudo, o site recebeu ainda visitas de usuários localizados na Argentina, China, Espanha, Estados Unidos e México.


A loja da plataforma e o acervo de Leila Baptaglin foram as páginas visitas do Ateliê AmarEllo, representando 70% dos acessos dos usuários.


Ateliê AmarEllo:

No total, o catálogo do site conta com 122 obras únicas que podem ser apreciadas e compradas por amantes da arte de todo o Brasil. No portal há ainda um espaço dedicado às intervenções artísticas realizadas por Leila Baptaglin, bem como os livros e artigos publicados por ela.


A artista explicou que o Ateliê nasce com o intuito de integrar e integrar-se ao cenário artístico e cultural roraimense.


“Inauguramos este espaço virtual a fim de divulgar os trabalhos que venho desenvolvendo e sinalizar ações futuras que buscamos realizar com outros artistas da região norte que tiverem interesse”, explicou a artista.


Perfil da artista:

Leila Baptaglin é Graduada em Desenho e Plástica; Especialista em Gestão Educacional; Mestre em Patrimônio Cultural; Mestre e Doutora em Educação. Toda sua formação concluída na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).


​Em seu Trabalho de Conclusão do Curso na Graduação, Leila pintou flores em tamanho de painéis, utilizando como referência a artista estadunidense Georgia O’Keeffe.


A formação da artista teve como base as pessoas e os lugares por onde passou: o ambiente da casa e vila no interior onde cresceu; as dificuldades enfrentadas no Rio Grande do Sul; o temor da Europa e o desafio de encarar a Amazônia e seu incomparável mundo.


Atualmente, Leila é docente no curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Roraima (UFRR) e trabalha com uma extensa lista de projetos que resultam (quase sempre) em obras significantes – tanto no campo acadêmico quanto artístico.

35 visualizações0 comentário